Canteiro



Deixemos o mundo lá fora
enfeitemos de flores
os nossos corações
e de nossa maneira
regaremos cada canteiro
com a água guardada
em nossas mãos.
Deixemos o mundo lá fora
Aqui dentro
dentro
de
nós
reguemos o que está latente
pra que depois
numa noite de lua cheia
todo o amor guardado
floresça lentamente
invadindo o mundo
num infinito querer.






11 comentários:

Monnie Lobo disse...

Perfeito.

maria teresa disse...

A imagem que acompanha o poema "fala"...uma fala de amor (con)sentido, em crescendo como a lua e com o desenrolar do poema...
Adorei o conjunto!
Abracinho meu

Majoli disse...

Que assim seja meu amigo.

Sem mais...amei!

Beijos com carinho.

Vivian disse...

...poeticamente


LINDO!!!!

bjs, poeta!

Vanessa Vieira disse...

Lindo Paulo!!
E que seja sempre infinito!
Um abraço!

R. Vieira disse...

"Deixemos o mundo lá fora
enfeitemos de flores
os nossos corações"

Que beleza de poema!!!
Bom demais ter chegado aqui!
Parabéns poeta!

lis disse...

Oi Paulo
Muito bom,gosto de jardineiros que se dedicam! rs
é lindo também as mãos entrelaçadas ao luar;
sua inspiração de fato contagia
vamos fazer o jardim florescer!
comecemos logo nessa segunda-feira chuvosa rs
abraço-te


Luís Coelho disse...

Depois de ver o video, sente-se a necessidade de ler o poema e interiorizar. Cada pessoa tem de procurar a paz e oferece-la em canteiros de flores regados interiormente.

isa disse...

E desse "deixar"nasceu um Poema belo e da foto uma dança sensual.
Beijo.
isa.

Paula Barros disse...

Adorei a imagem. As mãos sentem, falam, guiam.
E o poema é de muita delicadeza e carinho e entrega.
abraço

Catia Bosso disse...

A lua cheia, as flores, a poesia!
A mais perfeita sintonia em harmonia!


bjsMeus
Catita