Nova

Era uma noite sem brilho
Uma noite fosca
nublada
gelada e solitária.
Era uma noite triste
Uma noite chorosa
viúva
pobre e abandonada.
Era uma noite sem reflexo
uma noite sem testemunhas
sem cúmplices e sem amantes.
Era simplesmente uma noite
Uma noite qualquer
qualquer
como qualquer uma sem lua.


Paulo Francisco

3 comentários:

SOL da Esteva disse...

Meu Caro Amigo Paulo

Há sempre uma noite sombria e de Lua Nova que nos atormenta os pensamentos.
Esperanças postas no raiar do dia, para retomar a Vida que, sempre torna, igual, mais sombria ou mais luminosa, mas de grande valia.



Abraços



SOL

Paula Barros disse...

Que noite triste e pesada.
E que ideia comparar com uma viúva.
beijo

nelma ladeira disse...

Olá Paulo! Viver com a superficialidade constante, não é viver, mas sim levar a vida sem protagonizar os fatos e acontecimentos.
Porque viver é aprofundar-se em tudo aquilo que lhe faz bem e feliz.
Obrigada pela visita.
Beijinhos.