Elegia

Ainda estou por aqui Maria
sem ideia
sem vontade
sem querer
Ainda muito triste.
No momento sem vontade de viver
Não, não quero morrer de verdade.
[Simplesmente não quero viver sem ela.]
Amanheceu, entardeceu, o sol se foi
e eu não sei como está o céu
Com lua?
Estrelado?
Metileno?
Vermelho?
Embaçado?
Não sei...
O que eu sei, Maria, que ainda há uma tristeza tingida
que aperta
que sufoca
que cobre a minha alma e a deixa sem asas.
Sei que é um momento passageiro que tudo passa e até ela passará
Sei que eu deveria ser mais forte e derrotá-la logo
mas é uma luta interna , invisível, com lâminas poderosas
que cortam  a carne em diagonal e profundamente.
Também sei que amanhã já é setembro
e que a primavera logo chegará perfumando o vento
e, certamente, estarei melhor, mais forte e a sorrir.
Que esses cortes sazonais, essa tristeza gregoriana,
esse desgosto instalado se pulverizará como mágica.
Então, Maria, eu deixarei as canções tristes para o próximo mês de agosto.


Paulo Francisco

5 comentários:

Gracita disse...

Boa tarde Paulo
Se temos de esperar, que seja para colher a semente boa que lançamos hoje no solo da vida. Se for para semear, então que seja para produzir milhões de sorrisos, de solidariedade e amizade.
Setembro é um mês festivo e colorido. Os sentimentos nostálgicos vão desaparecer e a alegria virá colorir este coração que hoje chora.
Uma ótima semana para você
Beijos com ternura

nelma ladeira disse...

Pare de fugir da verdade! Aí sim você vai ser feliz.
Porque tem medo de amar? É um amor proibido?Será proibido até quando você permitir!
Beijinhos.

Paula Barros disse...

A esperança é que dias melhores sempre veem. Tudo passa.
bjs

Solange disse...

Depois de algum tempo estou aqui me deliciando com teus escritos..

bjs.Sol

nelma ladeira disse...

Oi Paulo agradeço a sua visita,beijinhos.