É só um comunicado



Não era um avião, não era um pássaro, nem tampouco o super-homem! Era o meu notebook voando e se espedaçando ao chão. Culpa minha, minha máxima culpa. Tinha acabado de descarregar o comentário de uma amiga blogueira sobre o meu último poema, quando resolvo, fotografar, de meu quarto, os relâmpagos assustadores que estavam caindo lá fora na madrugada de sexta.
Então, apoio o notebook encima de um livro que estava encima de minha cama. Abro a mochila e tiro a câmera que ali estava, e para não perder nenhum relâmpago, impulsiono o meu corpo pra frente o mais rápido possível. Saio (pulo) pelo mesmo lado onde estava o meu pobre companheiro. Levantei e ele voou, voou num voo suicida. Alavanquei o notebook ao ar.
Não tirei as fotos e tampouco pude postar até hoje.
Voltei a escrever nele depois destes 5 dias de ausência, ele estava sendo remontado e colado. Mas é certo que outro tombo (este foi o quinto) eu não o terei mais. Não há mais lugar pra tanto remendo.
Toda máquina tem uma vida útil, a minha, certamente, tem uma supervida.
Fico aqui pensando se vou conseguir outra máquina tão resistente quanto o meu quebradinho. Meu companheiro de viagens insólitas, que suporta temperaturas e ambientes diversos e está sempre pronto pra o que der e vier.
Tenho sorte com os meus amigos metálicos. Mas também não posso reclamar dos amigos que têm alma. Claro que nunca joguei nenhum deles do alto de um precipício, mas, tenho uns amigos, que seguram cada tranco meu!  Sorte minha tê-los com almas iluminadas e com uma alta dose de paciência.
Nestes dias analógicos pude me dedicar mais aos livros, guardar os meus papéis espalhados sobre a mesa, limpar algumas gavetas e jogar fora o que era inútil guardar. Reservei espaço para o futuro e organizei o presente. Tem dias que é necessária uma faxina externa pra organizar o que está por dentro.
Nestes dias de calmaria, pude navegar sem as forças dos remos, deixei o barco seguir o fluxo lento do vento. Às vezes é importante nos desprendermos das amarras da mesmice e inventar uma nova paisagem; olhar pela janela e descobrir que há movimento além da esquadria.
Nestes dias de sol e chuva pude sentir a delicadeza do dia me banhando de esperança; nestes dias de manivela, pude perceber que a vida escorre para o horizonte; nestes dias de energia a carvão, pude me comunicar através de cobertores e fumaças e me senti bem feliz.
Hoje, volto ao meu mundo virtual. Mas volto, certamente, mais real.
Agora vou responder aos emails atrasados e procurar outro aparelho pela internet.
Até a próxima postagem.
P.S.  Uma semana bacana pra todos vocês.

18 comentários:

MA FERREIRA disse...

Ola..

As vezes as coiss acontecem para darmos uma paradinha estrategica e necessaria...

Eu creio nisso..

A foro teria saido linda...mas outras tempestades virao/rs ( olha como fui pessimista ), mas....
Pensa no lado positivo..

Vc vai estar com um note bem moderninho! rs

Semana de paz a vc..bj

Paula Barros disse...

Paulo, bom saber notícias suas, estive preocupada.
Melhor ainda, aliado a saber que estás bem, é ler este texto. De arrumações, sobrevivências, de autoavaliação, de limpezas, de olhar o horizonte e ver vida lá fora e lá dentro (de você).
Gosto de textos que nos fazem entrar em contato com a gente também. Gosto destes paralelos com a vida interna e externa.
E ainda descobri que fora o nome em comum, temos o super poderes de arremessar objetos ao chão. kkk
Viva!!!
um forte abraço.

isa disse...

Meu querido Poeta,ele há dias bem complicados!!!
Beijo.
isa.

Rô... disse...

oi meu amigo,

as manivelas e as fumaças,
ainda são capazes de proporcionar comunicação,
e é muito bom sair da rotina...

bem vindo ao mundo cibernético,talvez mais real que virtual...

beijinhos

Simone MartinS2 disse...

Bom dia!
Eu te compreendo, pois meu Not., eu o chamo de filho, pois nunca me abandona, ou falha, ou da pane, enfim, meu tesouro. Mas as vezes, me desapego, só leio os e-mails e o deixo de lado, mas saiba, é tão dificil fazer isso,dar-lhe as costas! Ele ja faz parte de minha vida! Aqui todos mechem nele, mas sempre com meu olhar de cuidados.
Ainda ele será só meu...
Seja bem vindo, sinto falta de interagir com teus textos...Abraços

maria teresa disse...

Voltei e encontro algumas mudanças...Tenho que estar mais um tempinho por aqui para conseguir colocar a leitura em dia e perceber algumas mudanças,começando pelo novo nome:):):)
Abracinho meu!

Sonhadora disse...

Meu querido amigo

Ainda bem que está tudo resolvido e que apesar da queda, voltou a funcionar.
Deixo um beijinho
Sonhadora

Evanir disse...

A amizade é eternizada por nós mesmos,
portanto para ser eterna só depende do querer que há dentro de cada um,
pois não importa a distância,
já que é impossível viver independente desses obstáculos que o destino coloca na vida de todos,
assim nos separando. Uma boa amizade deve ser guardada no peito,
lembrada com muito carinho, pois amigos são pessoas raras,
pessoas que muitas das vezes contribuem para a nossa felicidade,
para o nosso crescimento, para a nossa vida, até mesmo sem percebermos.
E o que vale a pena é saber que são amigos muito importantes,
mesmo estando ou não perto de nós com freqüência.
E sua amizade é uma das coisas mais importante na minha vida.
Ser sua amiga é uma benção Divina.
um previlegio que Deus me deu
que me ajuda a ser feliz e ver o Mundo mais bonito.
Beijos meu eterno carinho,Evanir.
Eu abençoo com minhas duas mãos nossa amizade
e que Deus transforne num hino de Amor.

Escritora de Artes disse...

Olá,

É sempre assim, aprendemos coisas de onde menos imaginamos, desejo melhoras pro seu not....rsrsrsrs

Abçs

luadecristal disse...

por vezes quando temos uma paragem forçada podemos avaliar que a vida tem muito lá fora, cá dentro, e quando voltamos é como dizes trazemos maior realidade ao mundo vitual
bjs

Nelma. disse...

Eu reparei que você ficou realmente chateado porque foi fotografar os relâmpagos e deixou o notebook cair.
Então como você mesmo falou:Você foi o culpado.Quando eu li pela primeira vez interpretei errado achei que foi por causa da mensagem de sua amiga rsrs,mas foi porque não conseguiu fotografar,e ainda quebrou seu notebook.
Aí amigo não adianta ficar bravo.
Na vida tudo passa.Isso é fácil de esquecer beijinhos.

Ivone Poemas disse...

Oi Paulo, que bom você de volta e eu também, pois de vez em quando saio, vou para o meu recanto e lá dou um tempo em minha vida agitada em Sampa!
Tenho o meu notebook que é mesmo o meu companheiro fiel, nunca caiu, ainda bem, já tem quatro anos,sou apegada a ele, imagine só que é bem assim como escrevestes aqui, amamos os amigos e sinto que estão todos dentro desse meu "fiel amigo", que posso acessar sempre que puder, é lindo isso!
Amo todos os meus amigos virtuais e os não virtuais, sinto falta de todos quando não posso saber notícias, é gratificante ter você como meu amigo, podes crer!!!
Abraços e beijos em seu lindo coração!
Ivone

Ana Martins disse...

Há coisas que acontecem sem quase conseguirmos explicar.

Beijinho,
Ana Martins

Graça Pereira disse...

Esse notebook não é um super homem é antes um gato com sete vidas!!!
Mas eu penso que há males que vêm por bem... arrumação exterior para que a interior progrida mais... a dedicação aos livros ( lembraste-me que tenho uma série deles para ler) e esse futuro preparado com uma outra visão... Não é bacana??
Beijocas
Graça

Michele disse...

Acho bom que volte logo. Estou com saudade (no singular que a palavra não admite o plural- risos). :P


E a propósito: o senhor, seu Paulo, é encantador com a poesia, mas eu gosto mesmo é do seu lado cronista!


Um beijo

Mente Hiperativa disse...

iuashiuashi que aventura hein. abraço!

Maria Luiza disse...

Tenho amado seus poemas e como amei seu texto falando de seu PC como isso:

"Nestes dias de calmaria, pude navegar sem as forças dos remos, deixei o barco seguir o fluxo lento do vento. Às vezes é importante nos desprendermos das amarras da mesmice e inventar uma nova paisagem; olhar pela janela e descobrir que há movimento além da esquadria.
Nestes dias de sol e chuva pude sentir a delicadeza do dia me banhando de esperança; nestes dias de manivela, pude perceber que a vida escorre para o horizonte; nestes dias de energia a carvão, pude me comunicar através de cobertores e fumaças e me senti bem feliz." Que lindo isso, rapaz!!! Que Deus continue lhe inspirando e aviso que publicarei hoje uma poesia sua sobre as flores outonais.Explico: Fotografei minhas poucas flores e esperando passar essa Semana Santa, vi o seu post e me encantei. Quis então na hora homenageá-lo.Ok? Abraços!

Vivian disse...

Nossa,Paulo!!!

Que coisa, em?!!
Tomara que encontre um logo.Beijos. Até!
*Ficar sem...não dá,né?!rs