Volátil






Tudo era mágico
belo
perfeito
feito à mão
As nuvens pariam sonhos
todos flutuavam
flores
gente
bichos
e até o chão.
Era tudo tão colorido
lacrimoso
perfumado
inesgotável como a ilusão.
Nem quente, nem frio
nem claro, nem escuro
Estava tudo tão centrado
tão alcançável
tão silencioso
tão perto de Deus
que só poderia ser um sonho
uma viagem interplanetária
intergaláctica
incensaria
que certamente eu voltaria
a qualquer momento
menos insano
mais concreto
ao mundo dos ateus.


Paulo Francisco

3 comentários:

nelma ladeira disse...

Adorei seu poema,mas depois volto para lê direito!
Agora me responda por que está rindo?
Foi o que escrevi sobre o comentário?

nelma ladeira disse...

Agora voltei no meu blog,você está rindo do comentário.
Olha eu fiquei muito p da vida!Com aquela garota.
Eu não poderia deixar passar rrsrs.
Por favor não salve este comentário ok beijinhos.

nelma ladeira disse...

Este poema transmite paz!!
Gostei beijinhos.