Idílio


Estrada Teresópolis - Rio/ Foto: Paulo Francisco




Em minhas searas inventadas
entrego-me em clarões solares
em chuvas estelares
e em banhos lunares

Em minhas searas inventadas
produzo flores campestres
girassóis e trigos
Ceifo em épocas distintas
mortes e vidas

Em minhas searas inventadas
deito-me na rede, e sem sacolejos,
viajo em mundos perfeitos
entre todas as estações.

14 comentários:

Eva Sabbado disse...

Linda foto, adorei o poema,muito, não sei o que falar dele, só que gostei muito... aqui tá bem agradável friozinho ameno, sol, e preguicinha de final de semana, bjos.

♥♥♥Ani♥♥♥ disse...

Olá Paulo querido


Continue em sua seara inventada que nos trás lindos versos...

Beijos e um lindo final de semana
Ani

Coisas do meu Coração! disse...

Olá poeta, boa tarde1
Aplauso meus a vocÊ Paulo Francisco
a poeisa é linda.
Beijos
Eu! Leilinha

Sonhadora disse...

Meu querido amigo

Que essas searas inventadas que são o chão do poeta continuem a dar esta bela semente de palavras.

Um beijinho
Sonhadora

Sandra Subtil disse...

Searas inventadas mas que produzem trigo lindo como este poema.
beijinho

Simone MartinS2 disse...

Boa tarde!
"Quero voar por tuas searas,
livre como as andorinhas e poder
pousar de mansinho em teus braços,
ganhar um carinho, acalento.
Depois mais tarde, ja recolhidos em
tua seara, tomarmos um ultimo gole de vinho...Brindar a felicidade e a amizade com um ultimo trago de vinho de palma!Em tuas searas tu pode tudo, ate tentar ser o principe encantado de alguem!"
Abraços

Mariani Lima disse...

Paulo, as searas inventadas rendem lindas poesias. Viva o virtual!
Obrigada pela visita.
Fica com Deus

Anne Lieri disse...

...e como é bom inventar esses passeios pela imaginação!Muito linda poesia,Paulo!Bjs e bom fim de semana!

MA FERREIRA disse...

Paulo, lindo seu poema. A imagem encantadora.

bjs

Paula Barros disse...

Olá, hoje estou por aqui relaxando.
Aproveitando a imagem da serra e o seu poema para descansar olhos e mente.
Nas suas searas inventadas você cria e recria mundos, e nos deixa belezas para podermos também inventar outros mundos.

beijo

Michele disse...

Paulo, seu lindo! Liberou os comentários, que bom!
Gosto de vim aqui relaxar. Teu blog é minha casa de campo, sabia?

Um beijo

Maria Luiza disse...

Que bacana! Você abriu! Que em sua seara os frutos não se cansem de produzir para encher as nossas de prazer. Abraço-o afetuosamente!

✿ chica disse...

Maravilhosa poesia e seara tão inspirada...abração,tudo de bom,chica ( linda foto dessa estrada !)

Audrey Andrade disse...

Caro poeta, sua poesia é encantadora e casada com esta linda imagem, torna-se ainda mais ímpar!

Uma excelente semana, Paulo!
http://pequenocaminho.blogspot.com