CAOS

















Está tudo torto/solto/roto
e eu corro desesperado de medo
Está tudo podre/fétido/infecto
e eu tonto de medo
Está tudo acabado/irascível/vencido
e eu fixo/parado/paralisado
pregado de medo
Está tudo errado/incerto/arriscado
e eu cego de medo
Está tudo esquisito/perdido/indeciso
e eu trêmulo de medo
Está tudo por um triz
e sou eu quem diz:
Perigo na esquina
a zona é na calçada
e como prevenção
vacinam-se as meninas
e as mesmas morrem
de fome/de frio
pelas mãos de marginais
Meninos seduzidos por uma batina
Menino amarrado por quem o gerou
[uma forma
          de salvá-lo
                 de todo mal]
Moço espancado
cuspido por outros moços
por ser simplesmente
diferente de outros moços
Velho abandonado
na rua
na praça
em casa pelos seus
Menina estuprada
calada
horrorizada pelo seu genitor
Moça esfaqueada
silenciada pelo seu amor
Mulher queimada
apagada pelo nome da paixão
Está tudo tão errado
que eu morro de medo
Corpo na mala
bebê no lixo
bebê no lago
bebê na grama
arrastado por um carro
voando pela janela
Mulher afogada
Moça desaparecida
Quanto custa viver sem culpa?
Quanto custa viver sem fome?
Quanto custa viver sem medo?
Quanto custa viver em PAZ?!


Paulo Francisco

12 comentários:

Rosane Marega disse...

Paulo, um desabafo e tanto...quanto custa a Paz?
Boa pergunta e mesmo unidos em berros, talves nunca tenhamos o fim de tudo que nos tira a Paz.
Lindo desabafo poeta!
Beijosssssssssssss

Maria Rita disse...

Pois que me pergunto a mesmo coisa poeta, minha alma hoje tb grita por paz!

Beijos pra Ti

Sandra Botelho disse...

Não ha dinheiro que pague...
Bjos achocoaltados

Encantadora de Abelhas disse...

Meu amigo, no meio de tanto tormento... Não há paz, a voz calada não é silêncio!
Todas essas verdades que nos paralisam, enquanto alguns agonizam... Sei não que nome se dá à isso?!

A tua escrita é bela, a verdade desse texto que não é... Mas é a verdade né, fazer o que?!

Grande BjO

o mar e a brisa do prazer de aprender disse...

Ainda bem que temos poetas para falar por nós. Obrigada pela sua nobre visita no blog. Bjs

Saulo Taveira disse...

Nossa, uma catarse.
Muito bom, muito duro, forte. Gostei.

Abração.

SOL da Esteva disse...

Paulo, Amigo

O teu grito diz que a Humanidade não Humana.
A Paz é um estádio que se reporta a um Estado de Alma.

Abraços

SOL
http://acordarsonhando.blogspot.com/

lis disse...

Um grito de paz!
bonito se nao fosse trágico.
um abraço e saudade de ti

Audrey Andrade disse...

Paulo Francisco, li um lindo texto seu em homenagem à Ana Beatriz e não consegui deixar comentários. Não sei o que está acontecendo, mas gostaria de deixar uma mensagem e não consigo.

Tenha um excelente domingo!
http://pequenocainho.blogspot.com

lis disse...

oi Paulo
Estou na mesma condição que a Audrey, voce fechou para comentários? não há espaço aberto ,ok?
como tratamos com essa saudade? rs
abraços

Vivian disse...

Bom dia,Paulo!

Puxa!!Posso bater palmas?!
Uma composição perfeita,um desabafo indispensável!!!
É impossível não se chocar com o que vemos hoje em dia!
Quanto custa a paz? Custa caro...pois para tê-la as pessoas precisam saber respeitar o outro,pensar no bem de todos,não só no seu, saber dominar os próprios instintos,tentar melhorar e aprender sempre...vejo poucos tentando isso...bem poucos.
Mas jamais perco a esperança.Não posso perde-la.
*Admiro a sua sagacidade em usar as palavras, sempre certeiras!O poema ficou lindo.
*Obrigada pelo comentário de segunda!
Beijos!Bom final de semana!

Ani Cristal disse...

Oi Paulo querido

Quero me juntas a Vivian e bater palmas.
O poema ficou perfeito...
Pena que seja feito de injustiças e dores... E nós estamos ficando sem forças para lutar contra tudo isso.

Beijos e boa semana
Ani