Feixe



Encontro-me nesta cela de angustia
entre a penumbra e a escuridão
Sei que o que vejo não é miragem
estou plenamente lúcido
limpo
Estou em mim!

- não é vertigem o que vejo

Entre o negro e o cinza
persiste uma nesga de brilho

Entre meu corpo e minha alma
há um vácuo a ser preenchido

Há uma nesga de luz
entre o negro e o cinza
e uma pedra que brilha.

Paulo Francisco

6 comentários:

Alfa & Ômega disse...

Você é luz, estrela, raio de luar, manha de sol... rsrsrs também é um amor de pessoa! Abração! Linda semana, cheia de luz!

Paula Barros disse...

Que na vida a nesga de brilho vença e ilumine.
beijos

Vera Lúcia disse...

Obrigada! É um prazer estar aqui.

Uma réstia de luz será sempre um convite a ultrapassar qualquer penumbra ou escuridão.

Lindo, Paulo.

Renovo, aqui, os meus votos para um radiante Natal e um 2016 próspero e feliz.

Até breve!

Grande abraço.

Gladys disse...

Hola amigo hacía mucho que no veía tus actualizaciones que triste y angustiante, entrada espero estés bien me alegra volver a leerte.

Un abrazo con todo mi cariño de siempre que tengas una linda semana.

lis disse...

Vou ficar por aqui ,em vertigens.

sandra mayworm disse...

Paulo, que saudades!!!