EMPATIA



Estava escrito na parede: Eu te amo!. Quando li aquela frase, percebi que não faltava o hífen, tinha que está escrito daquela forma. Não era uma declaração; era muito mais que uma confirmação. Era um grito, a exclamação indicava o tamanho do desespero de quem escrevera.
Fiquei ali, parado, olhando o formato da letra, analisando aquele ponto de exclamação que não tinha um ponto e, sim, uma lágrima que escorria parede abaixo.
Veio-me a angústia, a necessidade de ajudar, de fazer algo para quem escrevera com tanta intensidade aquela frase. Quantas vezes senti necessidade de sair por aí, escrevendo alucinadamente tal frase, algumas vezes com o tal hífen, outras usando um t infinitamente maior, indicando como ela era importante pra mim, tão maior que o meu próprio orgulho. Quantas vezes pensei em escrever no caderno dela, bem no cantinho da folha a frase: eu te amo; quantas vezes, esta frase ficou sufocada em minha garganta; quantas vezes, ela foi embora ralo abaixo junto com espumas de um banho sofredor.
Não conseguia sair dali, a frase me paralisou. Transeuntes apressados me olhavam estranhamente, perguntando-se o que eu tanto olhava para aquela parede branca.
Eu, certamente, não estava olhando para uma parede branca; estava olhando para um desespero escrito por um batom vermelho.
Um batom que acariciou uma boca; um batom que manchou colarinhos, que se fez presente na alma de quem foi beijado por ele.
Saberia que jamais a encontraria, mas precisava ajudá-la de uma forma ou de outra. Não sairia dali numa inércia, como um simples leitor de seu desespero.
Abri a mochila, tirei uma caneta pilot azul e escrevi bem ao lado dela: Eu também amo VOCÊ.

10 comentários:

Catia Bosso disse...

Lindinho! E eu, com minha caneta bic roxinha, escrevo ao lado: Eu amos vocês dois!!!

Como é bom compartilhar...

bj

Catita

valeria soares disse...

Adorei este texto!

Ilaine disse...

Paulo, que lindo! Me emocionei com seu escrito. Parede branca, aonde? Havia ali uma revelação vistosa e surpreendente. Beijo

Lis disse...

Paulo
Só pessoas admiráveis e românticas tomariam essa iniciativa.Achei bacana.
Fora o ecologicamente correto de nao poluir o ambiente admiro o impulso de declarar-se assim gritando pro mundo todo ouvir!
um lindo dia pra voce
com abraços

Vivian disse...

Bom dia,Paulo!!

Ah!!!Que lindo!!!Amei!
**Porque é tão difícil dizer eu te amo???
Beijos pra ti!!!
Lindo dia!

blog da Paraguassu disse...

Paulo querido,
Que coisa mais linda. Que pena que não fui eu que escrevi na parede branca. Muitas vezes, em minha vida, amando apaixonadamente a pessoa que agora é meu marido, tive vontade de escrever em paredes, de gritar aos quatro ventos, de pintar numa bandeira, enfim mostrar para todo mundo saber o quanto eu o amava e ainda amo.
Belíssimo texto. Adorei lê-lo. Parabéns, você é muito sensível e romântico, o que é difícil encontrar nos homens de hoje. O meu, felizmente, é assim tbem.
Beijo grandão,
Maria Paraguassu.

Peônia disse...

Gostei demais do post!
Adoro essa palavra EMPATIA e tudo o que ela representa!
Beijos poeta!

ValeriaC disse...

Realmente, uma grande empatia mesmo...meu querido poeta, voce escreve de um modo que gosto demaissss...
Beijos...
Valéria

isa disse...

Mas é liiindo!
Sabe,fez-me recuar ao tempo em k escrevia "esses
gritos de alma",de coração jovem apaixonado.E soltei um suspiro terno. Guarde-o no seu coração.
Beijo.
isa.

Curiosa disse...

que lindo isso, Paulo ...
definiste muito bem o sentimento que nos torna humanos: a empatia ... deixo um forte abraço pra ti, amigo ...